O antigo jogo de bola mesoamericano

O antigo jogo de bola mesoamericano


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O jogo de bola mesoamericano é o esporte mais antigo conhecido nas Américas e originou-se no sul do México há aproximadamente 3.700 anos. Para muitas culturas pré-colombianas, como os olmecas, maias, zapotecas e astecas, era uma atividade ritual, política e social que envolvia toda a comunidade.

O jogo de bola ocorreu em edifícios específicos em forma de I, reconhecíveis em muitos sítios arqueológicos, chamados de quadras de bola. Estima-se que 1.300 quadras de bola conhecidas na Mesoamérica.

Origens do jogo de bola mesoamericano

A evidência mais antiga da prática do jogo de bola nos chega de figuras de cerâmica de jogadores recuperados de El Opeño, estado de Michoacan, no oeste do México, por volta de 1700 aC. Quatorze bolas de borracha foram encontradas no santuário de El Manatí, em Veracruz, depositadas por um longo período, começando por volta de 1600 aC. O exemplo mais antigo de um campo de baile descoberto até hoje foi construído por volta de 1400 aC, no local de Paso de la Amada, um importante local formativo no estado de Chiapas, no sul do México; e a primeira imagem consistente, incluindo trajes de bola e apetrechos, é conhecida no horizonte de San Lorenzo da civilização olmeca, cerca de 1400-1000 aC.

Os arqueólogos concordam que a origem do jogo de bola está ligada à origem da sociedade classificada. A quadra de bola em Paso de la Amada foi construída perto da casa do chefe e, mais tarde, as famosas cabeças colossais foram esculpidas representando líderes usando capacetes de jogo de bola. Mesmo que as origens locacionais não sejam claras, os arqueólogos acreditam que o jogo de bola representa uma forma de exibição social - quem teve os recursos para organizá-lo ganhou prestígio social.

De acordo com registros históricos espanhóis e códices indígenas, sabemos que os maias e astecas usavam o jogo para resolver questões hereditárias, guerras, prever o futuro e tomar importantes decisões políticas e rituais.

Onde o jogo foi jogado

O jogo de bola foi jogado em construções abertas específicas chamadas quadras de bola. Estes geralmente eram dispostos na forma de um capital I, consistindo em duas estruturas paralelas que delimitavam um tribunal central. Essas estruturas laterais tinham paredes e bancos inclinados, onde a bola ricocheteou, e alguns tinham anéis de pedra suspensos no topo. As quadras de bola eram geralmente cercadas por outros prédios e instalações, a maioria provavelmente de materiais perecíveis; no entanto, as construções de alvenaria geralmente envolviam muros baixos, pequenos santuários e plataformas das quais as pessoas observavam o jogo.

Quase todas as principais cidades mesoamericanas tinham pelo menos uma quadra de bola. Curiosamente, nenhuma quadra de bola ainda foi identificada em Teotihuacan, a maior metrópole do México Central. Uma imagem de um jogo de bola é visível nos murais de Tepantitla, um dos complexos residenciais de Teotihuacan, mas sem quadra de bola. A cidade maia clássica do Terminal de Chichen Itzá possui a maior quadra de bola; e El Tajin, um centro que floresceu entre o Late Classic e o Epiclassic na costa do Golfo, tinha até 17 quadras de bola.

Como o jogo foi jogado

As evidências sugerem que uma grande variedade de tipos de jogos, todos jogados com uma bola de borracha, existia na antiga Mesoamérica, mas o mais difundido foi o "jogo do quadril". Isso foi jogado por duas equipes adversárias, com um número variável de jogadores. O objetivo do jogo era colocar a bola na zona final do adversário sem usar as mãos ou os pés: apenas os quadris podiam tocar a bola. O jogo foi marcado usando diferentes sistemas de pontos; mas não temos relatos diretos, indígenas ou europeus, que descrevam com precisão as técnicas ou regras do jogo.

Os jogos de bola eram violentos e perigosos e os jogadores usavam equipamentos de proteção, geralmente feitos de couro, como capacetes, joelheiras, protetores de braço e peito e luvas. Os arqueólogos chamam a proteção especial construída para os quadris de "jugo", por sua semelhança com o jugo de animal.

Um outro aspecto violento do jogo de bola envolvia sacrifícios humanos, que muitas vezes eram parte integrante da atividade. Entre os astecas, a decapitação era um fim frequente para o time perdedor. Também foi sugerido que o jogo era uma maneira de resolver conflitos entre grupos políticos sem recorrer a guerras reais. A história de origem maia clássica contada no Popol Vuh descreve o jogo de bola como uma competição entre humanos e deuses do submundo, com a quadra de bola representando um portal para o submundo.

No entanto, os jogos de bola também foram ocasião para eventos comunitários, como banquetes, comemorações e jogos de azar.

Os jogadores

Toda a comunidade estava envolvida de maneira diferente em um jogo de bola:

  • Ballplayers: Os próprios jogadores provavelmente eram homens de origens ou aspirações nobres. Os vencedores ganharam riqueza e prestígio social.
  • Patrocinadores: A construção da quadra de bola, assim como a organização do jogo, exigiram alguma forma de patrocínio. Líderes afirmados, ou pessoas que queriam ser líderes, consideraram o patrocínio de jogos de bola uma oportunidade para surgir ou reafirmar seu poder.
  • Especialistas em Rituais: Especialistas em rituais costumavam realizar cerimônias religiosas antes e depois do jogo.
  • Público: Todos os tipos de pessoas participaram como espectadores do evento: plebeus locais e pessoas de outras cidades, nobres, adeptos de esportes, vendedores de alimentos e outros vendedores.
  • Jogadores: Jogar era um componente integrante dos jogos de bola. Os apostadores eram nobres e plebeus, e fontes nos dizem que os astecas tinham regulamentos muito rígidos sobre pagamentos de apostas e dívidas.

Uma versão moderna do jogo de bola mesoamericano, chamada ulama, ainda é tocado em Sinaloa, no noroeste do México. O jogo é jogado com uma bola de borracha batida apenas com os quadris e se assemelha a um vôlei sem rede.

Atualizado por K. Kris Hirst

Fontes

Blomster JP. 2012. Evidência inicial do jogo de bola em Oaxaca, México. Anais da Academia Nacional de Ciências Edição Inicial.

Diehl RA. 2009. Death Gods, Smiling Faces Foundation para o avanço da Mesoamerican Studies Inc: FAMSI. (acessado em novembro de 2010) e Colossal Heads: Archaeology of the Gulf Gulf Lowlands.

Hill WD e Clark JE. 2001. Esportes, jogos de azar e governo: o primeiro pacto social da América? Antropólogo americano 103(2):331-345.

Hosler D, Burkett SL e Tarkanian MJ. 1999. Polímeros Pré-históricos: Processamento de Borracha na Mesoamérica Antiga. Ciência 284(5422):1988-1991.

Leyenaar TJJ. 1992. Ulama, a sobrevivência do jogo de bola mesoamericano Ullamaliztli. Kiva 58(2):115-153.

Paulinyi Z. 2014. O Deus do pássaro borboleta e seu mito em Teotihuacan. Mesoamérica Antiga 25(01):29-48.

Taladoire E. 2003. Poderíamos falar do Super Bowl em Flushing Meadows ?: La pelota. Mesoamérica Antiga 14 (02): 319-342.mixteca, um terceiro jogo de bola pré-hispânico e seu possível contexto arquitetônico


Assista o vídeo: México, Xcaret - Teatro Gran Tlachco, jogo de bola dos povos mesoamericanos.